Inkas
Processo Civil
A ladainha do mérito e as cotas para negros

Visto com bons olhos por uns e nem tanto por outros, o sistema de cotas raciais é um meio de reparar as injustiças sofridas pelos negros em épocas passadas e o seu conseqüente distanciamento das diferentes áreas de influência e poder de decisão que são distribuídas na sociedade.
A presente postagem é fruto de artigo ainda inédito que tem como objetivo tecer fatos e posições diante de um tema tão polêmico que é o sistema de cotas raciais. Teve como base a pesquisa bibliográfica sobre o tema, que quase se restringe a artigos publicados em periódicos e na internet, o que tornou o trabalho árduo, mas também prazeroso.

A história do negro na época escravagista, a dificuldade de acesso na educação, os preconceitos enfrentados pela sua cor numa sociedade de utópica democracia racial e o surgimento do sistema de reserva de cotas para negros e pardos nas universidades federais e estaduais, que segundo alguns deixa de prestigiar o mérito em favor da cor serão objetos de novas postagens.
Ao negro, por uma questão histórica/cultural, foram conferidas menores oportunidades. Hoje por meio de ações afirmativas o Estado procura intervir para tentar reparar injustiças passadas decorrentes da escravidão e da desigualdade social, com a finalidade de tentar diminuir a diferença de tratamento que a sociedade impôs a um grupo social minoritário. 
Com a reserva de vagas em universidades e serviços públicos, que é política afirmativa, tenta-se, ao mesmo tempo, alcançar tanto a justiça distributiva, quanto a justiça compensatória e, como conseqüência, espera-se que o negro tenha uma representação igualitária dentro dos quadros de destaque da sociedade brasileira.
Procurei mostrar neste trabalho que a questão relevante sobre a reserva de vagas para não brancos não passa de um novo critério, muito mais democrático, de ingresso nas universidades pública e que o sistema meritocrático é muito mais injusto e excludente. Trata-se de valorar qual o critério mais justo e ponderar qual deve prevalecer na sociedade pós-moderna, que não admite com bons olhos a discriminação, seja qual for. Espero ter atingido meu objetivo.

Deixe seu comentário

Name*
Email*
Website